sexta-feira, novembro 04, 2005

Mãozinha marota

Esta história ridícula do xadrez de Coelho e da busca da PJ por causa da investigação a José Luís Judas lembra o caso da Fatinha. Não andará por aí uma mãozinha marota a destruir todos os processos que possam pôr a nu a corrupção partidária? Neste sítio tudo é possível. Mas como a estupidez tem limites é muito natural que ande por aí alguém a tentar atirar areia para os olhos dos cidadãos de um sítio cada vez mais salazarento e pessimamente frequentado.

2 Comments:

Anonymous Anónimo said...

"Os inspectores da judiciária 'visitaram' a toca do coelho à procura dum valiosíssimo tabuleiro de xadrez, que o Américo lhe deu. Se a Fátima foi avisada pelo poder judicial que existia um mandato de prisão contra si, mais facilmente o Jorge terá sido avisado que andavam à procura do seu tabuleiro."
Quitéria Barbuda in "Quem se mete com o PS leva", Revista "Espírito", nº 21, 2005.

www.riapa.pt.to

3:06 da tarde  
Anonymous Desconfiado said...

«Saúdo a nota que foi feita pela PGR, onde é dito com clareza que a busca que foi feita em minha casa não assenta em qualquer suspeita de ilícito criminal contra mim», afirmou.
-----------------------------------
Vamos lá por partes e pensemos um pouco (afinal isto não passa de um jogo de xadrez):

1º Sem haver suspeitas de ilícito criminal fazem-se buscas às casas das pessoas? É óbvio que não(na longa e tenebrosa noite "fascista" é que isso era possível, agora é uma impossibilidade técnica).

2º Sendo ponto assente que havia suspeita de ilícito criminal, e(por exclusão de partes) não sendo Jorge Coelho o suspeito (PGR dixit) então quem é o suspeito? Algum familiar que coabita com ele? Um amigo sem tecto a quem um dia se abriu a porta e que não mais saiu? O canídeo? A hipótese do periquito ter contraído a gripe das aves não me parece de todo impossível, mas...

3º Podemos também estar a ser induzidos em erro. Suponham que alguém a coberto da noite, ou não, invadiu a privacidade do politico e lá deixou algo para o incriminar. Não o conseguindo descobrir, Jorge Coelho, himself, terá pedido ajuda à policia nas buscas.

4ºSerá que o próprio Américo Santo poderá ter colocado o valioso jogo de xadrez na casa de Jorge Coelho sem este ter dado por isso?

5ºSerá que o presidente da câmara, à época, ficou de entregar o presente ao nosso cidadão "impoluto e incorruptível" e deu mas foi o golpe do baú, abarbatando-se com a nobreza, o clero, as bestas e mais os piõezitos(consta que as torres ficaram para o construtor e quanto ao espaço aos quadradinhos agora ninguém o quer)?

6º Como vêem as hipóteses de jogadas são bastantes e não ficam por aqui. Se a Justiça Portuguesa jogasse xadrez, já tinha levado com um xeque mate, mas desconfio que neste caso nem a jogo vai.

6:52 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home