quarta-feira, março 01, 2006

Dia em branco pela liberdade de expressão

Uma vez aconteceu neste sítio por Timor. Pode e deve acontecer de novo pela liberdade de expressão. Jornais, rádios e televisões sem notícias, em branco, para gritarem bem alto que não aceitam os atentados que o poder socialista, com o apoio da esquerda e o silêncio da direita, está a preparar a diversos níveis. Lembrem-se de Timor. Mas lembrem-se também do que aconteceu no Parlamento, na década de 90, quando Pacheco Pereira quis limitar a liberdade de circulação e de informação na Casa da Democracia. Os deputados falaram dias a fio para o boneco e foi a primeira vez que o 25 de Abril não teve sessão solene em São Bento. Vá lá. Mexam-se. Não tenham medo. Os empresários, como Balsemão, vão estar ao vosso lado. Mostrem, mais uma vez, que não são cobardes nem lacaios de nenhum poder.

2 Comments:

Blogger Mais Notas Soltas said...

Pois. Mas para isso era preciso que houvesse jornalistas. Coisa que já se acabou. Agora, segundo leio nos blogues especializados, há "produtores de conteúdos". Mas também, quem lhes mandou a eles, jornalistas, andarem a comer na gamela do poder? Comeram a carne, agora, roam os ossos....

7:36 da tarde  
Blogger paulo baldaia said...

Pois é António. Era bom que houvesse capacidade de luta. Era bom que houvesse capacidade de indignação. Era bom que o jornalismo fosse uma coisa de todos.
Mas este, agora, é um país de instalados. Vai ser difícil pôr a tua boa ideia em prática.
Já reparaste que o assunto até nos blogs dos jornalistas é praticamente ignorado?

10:10 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home