segunda-feira, outubro 02, 2006

Yom Kippur

Lembro-me da guerra de 1973. No dia do perdão e da recordação dos que desapareceram. Lembro-me dos que amei e desapareceram. Todos os dias. Mas não consigo esquecer e perdoar. Yom Kippur 2006.

6 Comments:

Anonymous EUROLIBERAL said...

Yom kippur 1973: o dia em que a heróica nação árabe reparou parcialmente a afronta do ataque traiçoeiro de junho de 1967, recuperando o canal de Suez. Quase 3.000 terroristas sionistas foram abatidos, e sem o envio maciço de armamento dos EUA, Israel teria sucumbido. Uma pequena aproximação ao que acontecerá quando a Nação árbe aniquilar de vez o regime sionista-apartheidesco e enforcar os seus líderes políticos e militares por crimes de guerra e contra a humanidade. ALLAH U AKBAR !

12:10 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

na capela da minha aldeia rezamos ontem pelos católicos, pelos muculmanos e pelos judeus que hoje celebram o yom kippur. A avaliar pela tua tristeza (e pelo comentário anterior) rezamos pouco.

12:49 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

... recuperou o Suez porque reconheceu oficialmente o Estado de Israel quando já tinha a tropa de Israel a marchar sobre o Cairo.
Quando não, como os Golan, estava completamente "papado" ...

1:32 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

vê lá se o Alá não te enraba

4:18 da tarde  
Blogger Marco said...

Eu também me lembro dessa guerra em 1973.
Parecia distante quando viamos as noticias no Telejornal.
E lembro-m da apreensão dos meus pais com o choque petrolifero.

11:28 da manhã  
Blogger Luís Marvão said...

Lembre-se, meu caro ARF,que foi nessa guerra que ruiu o mito da invencibilidade sionista. Não fora o maciço e quase deseperado apoio americano, e Israel teria soçobrado.
Convém não esquecer, caro ARF

4:27 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home