quarta-feira, novembro 01, 2006

Já agora

Como o Estado paga aos ambientalistas e aos sindicalistas para andarem a fazer barulho por tudo e por nada, especialmente por nada, não será possível arranjar uma reserva nos confins do Alentejo ou na serra algarvia para os instalar condignamente? De manhã berravam os sindicalistas, à tarde os ambientalistas. Sem folgas, feriados ou pausas. Claro que o Estado terá de instalar uma tenda para acomodar a comunicação social, que obrigatoriamente fará reportagens de toda a gritaria. Para não agravar as despesas das respectivas empresas, o ministro da tutela deverá não só pagar os ordenados dos 'enviados especiais' como todas as suas despesas nessa reserva. A Nação salazarenta agradece antecipadamente.

4 Comments:

Anonymous Castro da Cola said...

Oh António, a ideia tem piada - embora nunca seja exequível, obviamente, mas tem laracha -, agora pergunto eu: por que é que queres mandar essa fauna para os confins do Alentejo? Isso seria acabar com o descanso de quem andou uma vida inteira a sonhar (e a construir)com uma existência limpa, despreocupada, feliz e livre das grandes bagunças. Oh homem, ajuda mas é a fazer campanha por um Alentejo limpo e feliz.
Um abraço amigo e fraterno (VSM)

4:43 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

totalmente em desacordo com o ARF

BOLAS, ANTÓNIO! NÃO, PORRA!

No "Estado do Sítio", o meu velho amigo António Ribeiro Ferreira vem com uma proposta macaca que merece a minha rejeição liminar e total! Assim, António , NÃO! Assim, zangamo-nos! E deixa-me que te diga que essa tua proposta parece mesmo coisa saída do velho "MES de Lisboa" e daquele malandro que era o seu chefe...

" Já agora

Como o Estado paga aos ambientalistas e aos sindicalistas para andarem a fazer barulho por tudo e por nada, especialmente por nada, não será possível arranjar uma reserva nos confins do Alentejo ou na serra algarvia para os instalar condignamente? De manhã berravam os sindicalistas, à tarde os ambientalistas. Sem folgas, feriados ou pausas. Claro que o Estado terá de instalar uma tenda para acomodar a comunicação social, que obrigatoriamente fará reportagens de toda a gritaria. Para não agravar as despesas das respectivas empresas, o ministro da tutela deverá não só pagar os ordenados dos 'enviados especiais' como todas as suas despesas nessa reserva. A Nação salazarenta agradece antecipadamente. "

Estás a ver, nem pensar! E se insistes em propostas destas, zangamo-nos a sério! Fica sabendo que "na serra algarvia", NUNCA! Percebeste? Nunca, nem penses! Faz lá isso onde tu quiseres, mas se voltas a meter a serra algarvia nesta barafunda de sindicalistas, ambientalistas e outros salazarentos pagos e anafados pela mesa do Orçamento, temos o caldo entornado e vai tudo corrido a tiros de sal que é o remédio tradicional, na serra algarvia, contra os chatos e outros parasitas... Percebeste? Vê lá se tens juízo... E, lembra-te, na serra algarvia nunca! E pára, portanto, de ofender gente de bem que é muito boa gente!

Posted by: José Mateus Cavaco Silva at November 01, 2006 19:09 | link | comments | Receber o CLARO por email
Ver categorias:portugal, complexo salazarento e neo-corpo, visto de esquerda

1:39 da manhã  
Blogger Pedro Sá said...

Ainda que possa admitir como hipótese de raciocínio que o Estado pague aos sindicalistas, não vislumbro qual o meio por que ande a pagar aos ambientalistas...

9:24 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

O Problema do António Ribeiro Ferreira é que "pega de empurrão", e não te encontrado ninguém que lhe faça as vontades...

1:31 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home