sábado, julho 15, 2006

Um cómico

O democrata Putin afirma que é intolerável resolver uma questão política usando uma força militar desproporcionada. Pois é. Mas foi e é assim que a Rússia lida com os terroristas chechenos. E faz muito bem. Por isso mesmo, Putin não tem moral para criticar Israel por se defender dos bárbaros com firmeza e sem receio da comunidade internacional. Hipócrita, falsa e sempre muito anti-semita. Israel sabe que não pode perder a guerra. Nenhuma. E não vai perder.

3 Comments:

Anonymous EUROLIBERAL said...

EUROLIBERAL said...
Israel não é uma democracia (só 40% dos residente de jure podem votar, tem 10.000 presos políticos sem julgamento a cumprir prisão perpétua de facto e executa sumariamente centenas de oposicionistas).

Todos os palestinianos expulsos pelos terroristas sionistas da Palestina, vivam onde viverem, são cidadãos palestinianos (do território da antiga Palestina britânica, do Jordão ao mar) de direito e têm direito ao voto, com a consequëncia que se forem a maioria (como são) deverão poder constituir governo (tal como na Africa do Sul, após o desmantelamento do regime apartheidesco, modelo do apartheid sionista).

Se a manobra grotesca de privar da nacionalidade a maioria dos habitantes dessse estado (seja qual for o nome dele) para que uma minoria (a judaica) tenha ARTIFICIALMENTE A MAIORIA fosse legítimna à luz do direito internacional, então também o regime sul-africano deveria ter podido fazer o mesmo com os 80% de negros privando-os da nacionalidade sul-africana e "dando-lhe" a nacionalidade de alguns bantustões-guettos que nenhum país do mundo reconheceu como países. Ora o que o mundo negou à Africa do Sul apartheidesca (que foi forçada por um embargo mundial a democratizar-se e a aceitar o "one man, one vote, one land"), está ESCANDALOSAMENTE a permitir à ditadura sionista-apartheidesca: meter os desnacionalizados e roubados palestinianos em guettos-bantustões (pseudo-países sem soberania nem exército onde são massacrados a toda a hora pelos nazis sionistas) e conquistar assim NÃO DEMOCRATICAMENTE a maioria judaica no Parlamento.

Ora o direito internacional é só um e deve ser aplicado também a iSSrael: a única solução é one man, one vote, one land, um estado democrático e multicultural. Mas para isso primeiro há que aniquilar o regime sionista-apartheidesco...

Percebes, grande burro nazi-sionista ?
E iSSrael vai acabar por ser aniquilado pelo mundo islâmico. Merecem morrer todos, esses filhos da puta nazis ( menos os do Gush Shalom). E os aque apelam histericamente ao genocídio dos semitas, como tu Grande FDP nazi-sionista, também terão um fim triste.

11:43 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Grande cavalgadura, precisas de mudar de medico ou de levar nos cornos.

4:03 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

aniquilado vais ser tu, euroliberal tarado.

4:04 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home