quinta-feira, agosto 03, 2006

A verdade

O presidente iraniano diz que a solução da crise no Médio Oriente é a destruição de Israel. Ora aí está. O que esta besta diz é o que vai na alma de muita gente. No mundo árabe e no mundo ocidental. E é por isso mesmo que Israel é cada vez mais forte e essencial ao mundo livre e civilizado. É por isso também que ontem, hoje e amanhã fui, sou e serei israelita.

4 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Eu também.

12:40 da tarde  
Blogger Pedro said...

Com israelitas assim, não admira que o anti-semitismo alastre.
Agora a sério: como é que consegue ter tanta lata e falta de respeito pelos "palhaços"?

8:53 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

-Israel envia panfletos a avisar previamente os sítios onde vai atacar, diminuindo a eficiência do seu ataque sobre o Hizbollah para poupar vidas civis;
-A morte de civis Libaneses diminui o espaço de manobra militar de Israel para atacar o Hizbollah, visto ficar sobre maior pressão da comunidade internacional, incluindo dos EUA;
-Caso fosse do seu interesse, Israel teria capacidade para dizimar centenas de milhar de civis, mas as baixas civis são relativamente limitadas dada a dimensão do conflito;
-Ao contrário do exército Israelita, o Hizbollah não usa uniforme e tem bases em áreas civis, tornando extremamente difícil distingui-los de civis (é esse o objectivo)
-Quando morrem civis Libaneses, o Estado de Israel pede desculpas publicamente. Quando morrem civis Israelitas, o Hizbollah congratula-se.

Tendo em conta estas circunstâncias, parece-me óbvio que Israel está interessada em não matar civis Libaneses e que o Hizbollah usa esse interesse para, à custa da população Libanesa, se proteger e posteriormente fazer propaganda (utilizando as imagens do mortos civis Libaneses)

Sempre que Israel mata um civil, falhou o alvo.
No entanto, sempre que o Hizbollah mata um civil é porque ACERTOU no alvo.

Os padrões morais variam de cultura para cultura.

Devo dizer que, neste aspecto, me identifico com os padrões de Israel: durante a guerra evitar mortes civis do lado inimigo e não utilizar como escudo os civis do seu lado.
E, escusado será dizer, não me identifico com os padrões do Hizbollah: atacar civis do inimigo como alvo prioritário, utilizar a própria população civil para se defender e explorar a morte dos seus civis para se propagandear.

Custa-me perceber quais são os padrões morais de quem ataca Israel (por matar civis, ainda que não deliberadamente) e defende o Hizbollah (que mata civis deliberadamente).

A avaliação de Israel e de Hizbollah por padrões morais diferentes só pode significar uma coisa: estas pessoas são HIPÓCRITAS.

5:49 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Palhacos sem aspas. Palhacos sem cedilha. Os anti-semitas deviam comer iogurtes com lima que estivessem fora do prazo

4:31 da manhã  

Enviar um comentário

<< Home