terça-feira, julho 18, 2006

O pagador de facturas

Zapatero tem-se distinguido nas críticas a Israel. É natural. O homem deve a vitória nas eleições legislativas à Al-Qaeda e começou desde logo a pagar a respectiva factura: retirou as tropas espanholas do Iraque. E agora, depois de ter iniciado o diálogo com os terroristas da ETA, tem necessariamente de apoiar o Hezbollah e o Hamas. Mas ele gosta desse papel. Está-lhe no sangue.

7 Comments:

Anonymous Euroliberal said...

Judiaria nazi-sionista massacra 3 gerações da mesma família de canadianos ! PORCOS ASSASSINOS ! ACABARÃO TODOS DEGOLADOS ! O porco ARF também...

Canada's shock at Lebanon deaths
By Lee Carter
BBC News, Canada

The death of eight members of a Canadian-Lebanese family in an Israeli air strike has sent shockwaves through Canada's large Lebanese community.
Ali el-Akhras, a pharmacist from Montreal, was on holiday with his wife Amira and their four children in the Lebanese village of Aitaroun, about 50 kilometres south of Beirut.


Three generations of the Akhras family were killed in Lebanon
Amira, the children - aged one to eight - were all killed when an Israeli missile struck the house in which they were sheltering.

Ali's mother Hania and his uncle were also killed, while Ali later died of his injuries in hospital. Three other Lebanese relatives were also died, family members in Montreal said. An estimated 40,000 Canadians remain in Lebanon

5:30 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

calô!!!

12:31 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

este euroliberal deve ter sido enrabado por um judeu quando era pequenino. que pouca sorte.

11:01 da manhã  
Blogger Smashing said...

Talvez o Euroliberal se tenha esquecido dos continuoas ataques a Israel, e de que esse pequenino pais é alvo de muitas invejas por parte de paises cujo povo ainda vive na idade média. Pergunte-se talvez, além do petroleo, o que é que os paises Arabes contribuem para o bem estar mundial. Nenhum pais Arabe consegue ser um todo,uno e idivisivel, pois há sempre várias facções ou tribos liderados por despotas sanguinários, que aproveitando-se da ignorância do seu propio povo,provocam multipas guerras para beneficio proprio.Deixem Israel em Paz.. Eles têm o direito de se defenderem...

10:22 da manhã  
Blogger luikki said...

quem dera a este rectângulo ter meio zapatero!

6:56 da tarde  
Anonymous EUROLIBERAL said...

"Ora, o objectivo de um país em guerra é ganhá-la. A guerra não é propriamente um concurso de simpatia"

Você não aprende nada e só diz disparates, ou seja, mirandices... YOU'RE DEAD WRONG. É precisamente o contrário. Uma guerra assimétrica é sempre uma guerra de simpatia, ou melhor, em que ganha quem ganhar os "hearts and minds". E não ganha o que matar mais. Os EUA no Vietname tiveram 60.000 baixas mortais e mataram 2 milhões de vietnamitas. E PERDERAM ! Porquê ? Exacactamente porque não ganharam os corações dos vietnamitas, nem do mundo, incluindo a opinião pública dos EUA. Você não percebe nada. Senão, já teria percebido que Israel já perdeu esta guerra e que agora vai ser uma lenta agonia, um drenar de vidas em dinheiro até retirar sem nada. Sem nada não, ganhou o ódio de muitas mais gerações de inimigos e a galvanização em combate destes a prenunciar a derrota final. E vai ganhar também (mas isso já o tinha ganho há muito) que não haverá perdão no momento de acertar contas. É a vantagem das respostas proporcionais. Passado o calor da luta os biligerantes cansam-se e esquecem reciprocamente as afrontas, trocando isso pelo conforto da paz. Mas é preciso que o combate tenha sido leal e proporcional. É a paz dos Bravos. Mas os massacres tipo nazi (sou o povo superior e quero posso e mando) da escumalha nazi-sionista e a forma como trata os provisoriamente vencidos, garantiram-lhe já que não haverá perdão para essa escória... e que o mundo assistirá indiferente e mesmo satisfeito ao seu aniquilamento...

A moral, a ética, os princípios que você despreza existem e têm uma influência extraordinária no resultado das guerras. É que o factor determinante destas não é a técnica, apesar da enorme importância que tem adquirido. É o factor psicológico. Estar do lado da Justiça, defender os seus e a Pátria de invasores, galvaniza os combatentes, que são capazes de suportar 100 vezes mais que os inimigos condições adversas e sacrifícios. Um mercenário não tem o coração naquilo que faz. Por isso, seja quais forem as armas de que dispõe os exércitos mercenários acabam à la longue sempre vencidos...

a actuar assim NUNCA Israel ganhará o coração dos vizinhos e caminha para o aniquilamento. Agora, se tivesse há anos começado a democratizar-se como a Africa do sul do apartheid (onde 5 milhões de brancos continuam a viver felizes e ricos, mesmo perdendo a maioria no governo), recebendo e atribuindo a nacionalidade a todos os palestinianos exilados e para lá do muro (que iria abaixo, é claro), formando uma sociedade multicultural, unida e democrática, onde os muçulmanos teriam a maioria (mas apenas porque são mais, one man, one vote, one land) então haveria ali paz e um país próspero e feliz.

Querer construir a sua "felicidade" sobre a infelicidade do Outro (milhões de Untermenschen massacrados e guettizados num sistema apartheidesco), pretender estar sempre com a bota no pescoço deles nunca funcionou e não vai funcionar na Palestina...

8:01 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

O euro nao foi unicamente enrabado.

6:52 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home