terça-feira, fevereiro 14, 2006

São Possidónio

Andar pela noite de Lisboa neste dia dito dos namorados é um inferno. O tal São Valentim, que nunca existiu no imaginário luso, tornou-se num santo que se torna obrigatório cumprir, faça sol ou faça chuva. E o resultado é uma enorme possidonice, um pavor de pôr qualquer cidadão de cabelos em pé. É bom para o comércio, é péssimo para a saúde mental de um sítio que já anda pelas ruas da amargura. Mas uma coisa é realmente certa: ao contrário do que diz o povo, o ridículo não mata. Decididamente.

5 Comments:

Anonymous Anónimo said...

É um inferno ?
Depois de um veterano como você ter estado a banhar-se no Tigre, qual Rebelo de Sousa a mergulhar no Tejo, embora o Tigre tivesse merda a boiar e você dava umas belas brassadas que foi a risada de toda a imprensa internacional já nada me admira.

10:08 da tarde  
Anonymous Anónimo said...

Antes de criticar podia mas era aprender a escrever correctamente a língua de Camões. Obviamente que onde está "brassadas" deveria estar «braçadas». Eis outro. Já sabemos quem são e onde estão os 'mendecaptos'...

1:02 da manhã  
Anonymous Anónimo said...

Touché

11:12 da manhã  
Blogger CN said...

a efeméride é uma merda, é certo. mas tem tanta validade como o carnaval, o verão de são martinho, o natal, a páscoa, o dia de são nunca... enfim, tudo inventado para vender qualquer coisa, desde ovos de chocolare, a coelhinhos, bençãos, castanhas assadas, bombinhas de mau cheiro...

4:49 da tarde  
Blogger ZP said...

não dava para acreditar. impossivel arranjar lugar num restaurante, estavam todos cheios de pombinhos. transito infernal. assumo a snobeira. não há saco para o dia (noite) dos namorados. mas o que é isso!? claro que nao tem nada a ver com o natal nem o carnaval. esses existem há mtos anos. proponho que os namorados festejem anualmente no dia do seu proprio aniversario e sejam proibidos de sair no dia 14 de fevereiro.

2:01 da tarde  

Enviar um comentário

<< Home